Histórico Mostra Strangloscope

A Strangloscope – Mostra Internacional de Áudio, Vídeo/Filme e Performance experimental é a primeira mostra internacional realizada no Brasil que está voltada à divulgação tanto da criação sonora experimental quanto da criação audiovisual experimental e performances de áudio e audiovisual experimental. Além do trabalho de curadoria e exibição, a mostra oferece oficinas, espaços de instalação sonora e audiovisual, masterclasses e encontros de curadoria nacional e internacional.

O objetivo do Strangloscope como mostra presencial realizada na cidade de Florianópolis era o de alcançar pelo menos 2 ou 3 edições por ano para atuar de modo a fazer com que o público da ilha tivesse acesso e conhecimento ampliado do que é o trabalho audiovisual experimental.

Com o passar dos anos a mostra foi crescendo e passou a atrair cineastas de todo o mundo para Florianópolis. Eles vieram participar de exibições, apresentações ao vivo, exposições e oficinas além de desenvolverem junto com o público debates e masterclasses. Com esta ampliação a mostra passou a ser realizada, com apoio da Fundação Catarinense de Cultura e do Museu da Imagem e do Som de Santa Catarina. Sua última edição na cidade, a 12ª, em 2019, teve por tema a Transitoriedade e ocorreu em parceria com o espaço de tecnologia O Sítio.

Alguns apoios para que os artistas alemães pudessem participar de algumas edições foram dados pelo Instituto Goethe de Porto Alegre e também do Instituto Kalouste Gulbenkian e Embaixada da Espanha para recebermos uma programação do cine experimental espanhol sob curadoria de Angel Rueda do S8 da Coruña. Todas as outras participações, curadorias, cineastas convidados estiveram em Florianópolis com apoios buscados em instituições de origem ou com verbas próprias. Esta é a primeira vez que contamos com patrocínio de concurso de edital público estadual para realização da mostra fora do Estado de Santa Catarina. E a primeira vez que realizamos a mostra de modo totalmente virtual, devido às limitações impostas pela pandemia do coronavírus.

A 13ª edição tem o patrocínio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Rio de Janeiro, do Governo do Estado do Rio de Janeiro e da Secretaria Especial de Cultura, do Ministério do Turismo, do Governo Federal, através da Lei Aldir Blanc. Tem produção da Caprisciana Produções e da Prama Comunicação e conta com o Apoio Cultural do Instituto Goethe e do Camões – Instituto Cultural Português, além de parceria do FilmFreeway.



IDEALIZADORES